A rapariga que morreu na estrada da kadoc (2)

APL 1992

“É uma rapariga que costuma pedir boleia na estrada da kadoc, e certo dia um carro parou, um carro de um grupo de amigos parou e deu-lhe boleia. Deu-lhe boleia e ao passarem na curva onde a rapariga morreu, a rapariga vira-se para eles e diz: - olha foi aqui que eu morri. E eles pensaram que ela estava no gozo, estava a brincar e não ligaram e deixaram-na em casa. Uns dias depois eles voltaram lá que queria falar com ela, estar com ela. Bateram a porta, veio a mãe e eles perguntaram se ela estava em casa que queria falar com ela. E nisto a mãe diz que: - Não a minha filha já morreu, e já morreu a algum tempo e é impossível vocês terem-lhe dado boleia porque ela já morreu a algum tempo.”

Fonte Biblio AA. VV., - Arquivo do CEAO (Recolhas Inéditas) Faro, n/a,

Ano2005

Place of collection Quarteira, LOULÉ, FARO

ColectorJoana Cardoso (F)

InformanteJoana Isabel Cardoso (F), 21 y.o., born at Quarteira (LOULÉ) FARO,

Narrativa

When XX Century,

CrençaUnsure / Uncommitted

Classifications