A Rapariga que pede Boleia

APL 2409

Informante: Eu vivia lá em Boliqueime, e a gente ouvia muito acerca de uma história perto da Kadoc. Alias, uma história arrepiante, por assim dizer. E era assim, uma rapariga vivia lá ao pé da Kadoc e ela, uma vez acidentalmente ela morreu lá ao pé de uma ponte.
Colector: Mas morreu atropelada ou…?
Informante: Atropelada! Atropelada não! É assim, há várias versões. Mas a que eu conheço, e acho que é a mais arrepiante é que ela morreu de um acidente. Eles vinham com muita velocidade, embriagados e ela… bateram-lhe e ela é que acabou por falecer! E então é assim, ela todos os anos, no dia que morreu, não sei bem qual é o dia, ela acaba por aparecer vestida de branco com aquele cabelo comprido. E então ouve um dia que uns rapazes saíram da Kadoc, e iam a passar pela ponte, e estava uma rapariga vestida de branco a pedir boleia. Eles pararam! Perguntaram-lhe se queria boleia… ela disse que… prontos disse que sim e entrou. Seguiam, seguiam, conversa para ali, conversa para lá, quando ela diz “Cuidado!”, eles olharam e disseram “Cuidado porque?”, “Cuidado, foi ali onde é que eu morri!” [informante faz um barulho de explosão]. Bateu!
Colector: Tiveram um desastre?
Informante: Tiveram um desastre! Isto, depois o rapaz, um deles faleceu e outro até hoje continua a contar a mesma história. Enfim está assim meio… todo o mundo pensa que ele é xoné [maluco].
Colector: Mas a primeira vez que ouvia falar disso foi onde?
Informante: Em Boliqueime. Na escola.

Colector: E falava-se muito?
Informante: Falava-se muito! E havia muitas pessoas que tinham receio de passar ali naquela zona, principalmente naquela altura!
Colector: E tinha que idade?
Informante: Ela tinha por aí… uns dezassete, dezoito anos. E eu tinha por aí os meus doze, treze, catorze anos. Foi mais ou menos por essa altura. Ai, eu tinha muito medo de passar por esse túnel [por debaixo da ponte onde situa-se uma ribeira].
Colector: E hoje conta-se muito essa história?
Informante: Conta-se. Esta história vai ser… mantêm-se para sempre.
Colector: Mas e as pessoas mais velhas, também ouvem falar?
Informante: Sim, essa história… aquela zona é muito pequena então é uma história que acho que vai ficar para sempre. É muito marcante.

Fonte Biblio AA. VV., - Arquivo do CEAO (Recolhas Inéditas) Faro, n/a,

Ano2008

Place of collection-, LAGOA, FARO

ColectorMarlon Miguel Monteiro (M)

InformanteAndreia Raquel da Silva (F), 24 y.o., born at - (LISBOA) LISBOA,

Narrativa

When XX Century,

CrençaUnsure / Uncommitted

Classifications