A rapariga que pede boleia

APL 1971

A lenda começa com um casal de namorados que vão passear de mota. Contudo a rapariga foi fugida dos pais, porque os pais não queriam que ela andasse com aquele rapaz.
Então, eles vão passear e ao voltarem para casa, ao passarem a Ponte Barão, fica na estrada que liga a Patã de Baixo à 125, eles têm um acidente e ela morre. Ele não tenho a certeza se morre ou não, mas ela sei, ela morre.
Então o que acontece é o seguinte:
Há muitas pessoas que dizem, que relatam que vêem uma rapariga da descrição da rapariga que morreu de mota a pedir boleia.
O meu instrutor de condução, disse-me ele próprio, que tinha visto a rapariga a pedir boleia mas, não teve coragem de parar e dar boleia pelo que ele também já tinha ouvido dessa lenda.  
Então a rapariga, em alguns casos, a rapariga pede boleia, as pessoas param, dão-lhe boleia e quando ela passa pela zona onde houve o acidente e onde ela morreu ela vira-se para ele e diz:
- Olha foi aqui que eu morri.
E as pessoas olham para trás e ela desaparece. Em alguns casos provoca acidentes, noutros não.
E foi, é esta a lenda que eu conheço. Mas, há outras versões.

Fonte Biblio AA. VV., - Arquivo do CEAO (Recolhas Inéditas) Faro, n/a,

Ano2003

Place of collection Albufeira, ALBUFEIRA, FARO

InformanteAnabela Zeferino Frade (F), 20 y.o., born at Boliqueime (LOULÉ) FARO,

Narrativa

When XXI Century,

CrençaUnsure / Uncommitted

Classifications