A Ribeira dos Ovos

APL 1412

Há anos atrás, um capitão de milícias, de nome Mendonça, ia num certo dia de bom tempo de visita à freguesia do Capelo. Seguia por uma bela estrada que, ligava a Horta à Feteira e a Castelo Branco. Quando chegaram próximo do sítio do Areeiro, encontraram uma ribeira cercada de verdura, que era um belo descansadoiro.
 O capitão Mendonça ficou maravilhado com a calma do lugar e, como já estava muito cansado da viagem e do calor, convidou os companheiros para uma paragem.
 Logo se apearam das bestas que os transportavam e sentaram-se no chão, à sombra.
 O capitão Mendonça era um grande gastrónomo, ou melhor dizendo, gostava muito de comer e a viagem abrira-lhe ainda mais o apetite. Aproximou de si a enorme cesta que levavam cheia de ovos cozidos. Enjeirou-se e um a um foi descascando e comendo os ovos, enquanto cavaqueava com os companheiros.
 Pouco a pouco os ovos iam desaparecendo de dentro da cesta e as suas cascas iam-se emedando no chão. Os camponeses que acompanhavam o capitão estavam espantados porque nunca tinham visto um só homem comer tantos ovos durante uma refeição.
 Passada cerca de meia hora, a cesta ficou vazia e o capitão Mendonça, satisfeito, seguiu caminho em direcção ao Capelo, deixando no chão uma grande meda de cascas de ovos.
 As pessoas que por ali passaram ficaram espantadas com os ovos e começaram a chamar àquele lugar Ribeira dos Ovos, que assim ganhou nome graças à proeza do capitão Mendonça.

Fonte Biblio FURTADO-BRUM, Ângela Açores: Lendas e outras histórias Ponta Delgada, Ribeiro & Caravana editores, 1999 , p.258-259

Place of collection Capelo, HORTA, ILHA DO FAIAL (AÇORES)

Narrativa

When XX Century, 90s

CrençaUnsure / Uncommitted

Classifications