A Senhora da Alegria

APL 3509

Conta-se que uma certa noite, já a obra do Convento de Castelo de Vide ia muito adiantada, irrompe um incêndio, que devasta tudo o que já estava feito.
O povo acorre bem depressa. As labaredas levavam tudo à sua frente, e o armazém de pólvora ficava ali bem perto. A água estava longe e difícil de carregar, pois era preciso ir buscá-la à fonte da vila, à fonte do Rossio ou ainda à fontinha de Santa Ana.
    Tudo parecia perdido. Então, toda a população se voltou para a Igreja da Senhora da Alegria e, numa explosão de fé, implorou à Senhora que lhe acudisse.
    Como que por encanto, o incêndio extinguiu-se.
    No outro dia, toda a gente se reuniu em frente da Igreja da Senhora da Alegria para rezar e agradecer tão magnânima protecção.
    E todos quiseram beijar-lhe os pés, mal se atrevendo a olhar o seu rosto. De súbito, alguém que agarrava o manto de púrpura e ouro que cobre a imagem grita:
    — Milagre, milagre!
    Uma das pontas do manto estava queimada, porque a santa com ele havia apagado o fogo.

Fonte Biblio FRAZÃO, Fernanda Passinhos de Nossa Senhora - Lendário Mariano Lisboa, Apenas Livros, 2006 , p.107-108

Place of collection-, CASTELO DE VIDE, PORTALEGRE

Narrativa

When

CrençaUnsure / Uncommitted

Classifications