A Senhora do Almortão

APL 3487

Certa madrugada, pastores e ganhões atravessavam o campo pelo sítio da Água Murta, para o labor quotidiano. Notaram então que, numa moita de murteiras grandes, havia algo de estranho.
    Aproximaram-se e viram uma linda e resplandecente imagem da Virgem. Caindo de joelhos, exclamaram:
    — Milagre! Milagre!
    Resolveram então conduzir a imagem para a igreja de Monsanto. Mas ela desapareceu pouco depois e, procurada no local da aparição, lá estava exactamente no mesmo sítio. Tornaram a levá-la e aconteceu a mesma coisa, lá estava ela no lugar da aparição, no murtão. 
    E, respeitadores da vontade bem expressa da Senhora, os habitantes da vila construíram no local a capelinha.
    Mas Débora Ramos/Ana Luisa Campos Rolo contam a história da Senhora do Almortão, de uma outra maneira:
    «Há muitos, muitos anos, nos terrenos das imediações da actual ermida da Senhora do Almortão, crescia, por toda a parte, um arbusto chamado murta.
    Havia, em Alcaíozes, um rapazinho que era pastor e vinha todos os dias com o seu rebanho para estes terrenos.
    Um dia, andando ele a vigiar o seu rebanho, encontrou, no meio de uma moita de murta, uma linda imagem. Ficou muito contente e brincou com ela toda a tarde.
    Quando se quis ir embora, meteu-a no sarrão, para a mostrar à mãe.
    Ao chegar a casa, contou à mãe o que se passara, é quando ia para mostrar a bonequinha (como ele lhe chamava) não a encontrou.
    No dia seguinte, veio encontrá-la de novo, no meio da moita da murta. Voltou a brincar com ela e, à tarde, meteu-a no sarrão para a levar. Todavia, ao chegar a casa, não a encontrou. E isto aconteceu durante vários dias. Estranhando o sucedido, o pastorinho e a mãe contaram-no a várias pessoas, que concluíram que a bonequinha era uma linda imagem da Senhora do Almortão e que deveriam fazer-lhe uma capela no sítio onde o rapazinho a encontrava sempre.
    E, assim, fizeram a ermida e puseram à Senhora o nome de Almortão por ter aparecido no meio da murta.»

Fonte Biblio FRAZÃO, Fernanda Passinhos de Nossa Senhora - Lendário Mariano Lisboa, Apenas Livros, 2006 , p.40-41

Place of collection Alcafozes, IDANHA-A-NOVA, CASTELO BRANCO

Narrativa

When XIX Century,

CrençaUnsure / Uncommitted

Classifications