[A Senhora do Bálsamo na Mão] versão C

APL 3590

No monte Carrascal, no concelho de Macedo de Cavaleiros, havia uma grande mesquita e perto dela estava o castelo de um rei mouro que governava uma grande área à volta. Este rei era muito mau, muito mau, obrigando os cristãos a pagar pesados tributos, e caso a tal se recusassem, mandava cortar-lhes os braços. Um desses tributos era o de possuir todas as noivas na noite do casamento.
    Um dia, um jovem cristão que morava onde hoje se chama Alfândega da Fé, ao casar com uma bela rapariga da sua terra, resolveu opor-se ao tributo, e, para isso, na noite do casamento envergou ele o vestido de noiva, cobriu a cabeça com um véu, e foi ter ao castelo em lugar dela.
    Ao chegar aos aposentos do rei mouro, este retirou-lhe o véu, e qual não é o seu espanto ao ver que tinha sido enganado. Ficou furioso e gritou pelos seus guardas. Mas nada mais pôde fazer. O jovem, que trazia um punhal escondido, espetou-lho no coração, matando-o. Aos seus gritos acudiram todos os mouros do castelo e o jovem cristão só teve tempo de despir o vestido de noiva e saltar por uma das janelas, fugindo pelo monte Carrascal abaixo, com os mouros na sua perseguição. Entretanto, alguns amigos, vizinhos e familiares seus, incluindo a noiva, vinham de Alfândega da Fé para lhe acudirem.
    Deu-se então o encontro e houve grande luta entre eles. Só que as hipóteses dos cristãos se salvarem eram poucas, pois os mouros eram muitos. De repente, segundo conta o povo, a noiva ajoelhou-se e pediu socorro a Nossa Senhora. E assim, quando os cristãos estavam já quase vencidos, ganharam novo ânimo, mais coragem, mais força, e venceram os mouros. Estes fugiram e deixaram as armas.
    Diz o povo que houve quem visse, no meio da batalha, o vulto de uma mulher desconhecida, com um vasilha de bálsamo e umas folhas na mão esfregando as feridas dos cristãos. E que estes, depois disso, ficavam curados e se erguiam para combater de novo. Dizem que era Nossa Senhora. Primeiro chamaram-lhe a Senhora do Bálsamo na Mão e hoje é conhecida como Nossa Senhora de Balsamão. E tem lá um importante santuário.

Fonte Biblio PARAFITA, Alexandre A Mitologia dos Mouros: Lendas, Mitos, Serpentes, Tesouros Vila Nova de Gaia, Gailivro, 2006 , p.250-251

Ano2009

Place of collection-, MACEDO DE CAVALEIROS, BRAGANÇA

InformanteMabilde da Conceição Afonso (F), 47 y.o.,

Narrativa

When

CrençaUnsure / Uncommitted

Classifications