A vaca encantada

APL 1014

Numa aldeia, um lavrador tinha uma vaca que começou a manifestar um comportamento muito estranho. Todas as noites dava pinotes dentro do estábulo, muava enfurecida e ninguém a segurava. Acabava por rebentar a porta e saía a correr com uma velocidade endiabrada para o monte não muito longe dali.
O lavrador, em conferência com a mulher e os vizinhos, chegou à conclusão que a vaca teria sido encantada pelos Mouros e que ia todas as noites levar-lhes o leite, uma vez que, quando voltava, vinha calma e sem pinga nas tetas.
Chegou mesmo a segui-la uma noite, mas como o animal corria mais do que ele, depressa lhe perdeu o rasto.
Uma noite, algo ainda de mais estranho aconteceu. A vaca, como sempre, arrombou a porta e correu para o monte e voltou altas horas da noite ao estábulo. O lavrador na manhã seguinte foi vê-la, na esperança de os Mouros lhe terem deixado algum leite que ele poderia dar aos filhos pequenos. Quando ia a lavar-lhe as tetas para a ordenhar, reparou que uma delas tinha uma palheira metida. Tirou-a com todo o cuidado e, já com ela na mão, aconteceu algo de extraordinário: a palheira havia-se transformado num
pesado cordão de ouro.
A vaca, a partir de então, nunca mais teve vontade de arrombar a porta e ir passear de noite e o lavrador, com o dinheiro da venda do cordão, aumentou os seus haveres e viveu à larga o resto da vida.

Fonte Biblio AA. VV., - Literatura Portuguesa de Tradição Oral s/l, Projecto Vercial - Univ. Trás -os-Montes e Alto Douro, 2003 , p.ME2

Ano2000

Place of collection Semelhe, BRAGA, BRAGA

ColectorJosé Leon Machado (M)

InformanteFrancelina Machado (F), 67 y.o., Semelhe (BRAGA) BRAGA,

Narrativa

When XX Century, 90s

CrençaUnsure / Uncommitted

Classifications