Água e vinho da mesma fraga

APL 1063

Era verão. Os trabalhos na ponte corriam de feição. Alguns trabalhadores foram falar com Frei Gonçalo — já corria a fama de santo — para resolverem o problema da água para beber. Era prática corrente beberem da do rio mas, com o fraco caudal e as obras, a água estava muito embodegada e a fonte mais próxima ficava longe.
 O frade, que ainda não tinha reparado nesse pormenor, ouviu-os com toda a atenção e prometeu-lhes resolver o caso.
 Algum tempo depois passou os olhos pelo fraguedo da margem direita, mesmo por debaixo da capela e, tocando com o cajado numa saliência, logo começou a sair cristalina, fresca e saborosa água.
 Os trabalhadores ao aperceberem-se da situação correram ao local e mataram a sede que os consumia. Um deles ao saborear a água virou-se para o frade e disse-lhe em tom de brincadeira:
 - A água é boa mas se fosse vinho até ficávamos com mais força.
 Frei Gonçalo ao ouvir tal sugestão tocou de novo com o cajado na fraga e logo de outro orifício começou a sair vinho e de boa qualidade que, para não se perder mandou o frade fosse colocada uma esquiça no furo. Os trabalhadores ficaram muito agradados e prosseguiram os trabalhos com muito mais alegria e ânimo.
 Quando terminaram as obras os trabalhadores quiseram encher grandes vasilhas e odres para levarem para casa mas tal não foi possível pois a bica por onde o vinho tinha jorrado havia secado. A de água continuou a jorrar até ao dia em que foi aterrada e devolvida pelos homens às entranhas da terra.

Fonte Biblio PATRÍCIO, António Lendas de S. Gonçalo e de Amarante Amarante, Paróquia de S. Gonçalo, 2009 , p.36-37

Place of collection Amarante (São Gonçalo), AMARANTE, PORTO

Narrativa

When XIII Century,

CrençaUnsure / Uncommitted

Classifications