Água vai!

APL 2620

Eu andava trabalhando, tinha entre 15 e 16 anos, e fazíamos serão na fábrica do peixe e vínhamos uma/uma e meia da manhã para casa e vinha com uma vizinha minha, mas vinha sempre a lavar os aventais que cheiravam muito a peixe, para no outro dia levar limpo. E a descansada da minha mãe disse-me:
- Amália, quando deitares a água à rua diz ‘água vai’.
Mas eu como era daquelas pessoas muito raro fazer aquilo que me mandavam disse:
- Água vai, e água vem..
Pois a água veio toda pra cima de mim e partiu o patente da porta, e tive muito doente. Isso passou-se comigo.

Fonte Biblio AA. VV., - Arquivo do CEAO (Recolhas Inéditas) Faro, n/a,

Ano2009

Place of collection-, CASTRO MARIM, FARO

ColectorDália Faísca (F)

InformanteAmália Maria do Nascimento (F), 58 y.o., born at - (CASTRO MARIM) FARO,

Narrativa

When XX Century,

CrençaUnsure / Uncommitted

Classifications