Almas do outro mundo na Ponte do Campo da Feira

APL 1620

Uma ama de Vila Pouca teve um filho que deitou ao rio. Andou por ali muito tempo a ver se lhe encontrava um osso ao menos. Foi requerida com um quarto de painço, parece, e nunca mais apareceu. O eco que ali há e que responde à algaravia das lavradeiras tem ajudado, segundo explicação reproduzida pela Maria, para acreditar as coisas más.

Fonte Biblio SARMENTO, Francisco Martins Antígua, Tradições e Contos Populares Guimarães, Sociedade Martins Sarmento, 1998 , p.110

Place of collection-, GUIMARÃES, BRAGA

Narrativa

When XX Century,

CrençaUnsure / Uncommitted

Classifications