Cavalo branco

APL 2398

Bom essa, essa é uma história que se passou comigo além, além de se passar comigo depois… fomos averiguar, aliás o meu pai averiguou que já se tinha passado com muitas outras pessoas, isto há uns 40, 40 e tal anos que isto se passou, olhe a primeira vez que eu vi televisão na minha vida, pois eu tenho 51 anos e a minha mãe mandou-me comprar fósforos numa tasquinha num cafezinho que a gente chama lá em cima no norte, a gente chamamos uma tasca, quando eu fui comprar os esses fósforos, foi a primeira vez que vi televisão e então esqueci-me e pôs-me a ver a televisão, olhe estava a dar a tourada nessa altura estava a dar a tourada, acabei por estar entretido a ver televisão, e quando vim embora já era de noite, vinha cheio de medo não é, ao passar a uma quinta que lá existia aparecia um cavalo branco atrás de mim num campo, eu vinha na estrada havia um campo ao lado, cheio de milho e o cavalo vinha a correr e partia o milho todo, da qual eu me assustei muito não é, cheguei a casa entrei pela porta dentro encostei-me, e o meu pai e a minha mãe, o que é que foi o que é que não foi, e a perguntarem-me, e eu queria falar e nem podia, quando consegui falar acabei por dizer ao meu pai o que é que aconteceu, que esse cavalo branco vinha e partia o milho todo, bom no dia seguinte o meu pai levou-me lá e o milho estava todo direito, só que eu adoeci, adoeci tive que andar pelos médicos, os médicos não descobriram a minha doença e acabou por ser uma mulher, uma curandeira qualquer, que descobriu a minha doença. O que fez, o que não fez, eu agora não sei, porque não me lembra, já vai há tantos anos eu não me lembra. Sei que mais tarde, acabei por, acabou por descobrir que isso não era só a mim, era… aparecia a outras pessoas e era o dono dessa quinta que já tinha falecido que aparecia na, na quinta através de animais, a mim apareceu num cavalo, a um outro senhor apareceu numa cabra, aparecia assim… até que mais tarde tiveram que… que fazer, chamaram um padre e fizeram uma aferrolho, chamado um aferrolho, quer dizer juntaram umas cinzas e fizeram umas rezas e lá num poço dessa quinta tiveram que enterrar isso e aterraram o poço. A partir da nunca mais apareceu nada. Mas isso e uma história bastante esquisita porque isso passou-se comigo, se não se tivesse passado comigo eu também não acreditava, se me contassem isso, mas isso aconteceu, aconteceu-me a mim e aconteceu a muita gente. E até nessa quinta chegou a aparecer uma pessoa, eu acho que esse dono dessa quinta que morreu enforcado, que se enforcou, isso já vai há tantos anos, e já o meu falecido avô já faleceu e o meu pai também já faleceu, porque eles é que lhe poderiam contar agora tudo mais ou menos como é que foi não é, mas isso aconteceu comigo.

Fonte Biblio AA. VV., - Arquivo do CEAO (Recolhas Inéditas) Faro, n/a,

Ano2008

Place of collection Landim, VILA NOVA DE FAMALICÃO, BRAGA

ColectorMilène Segura (F)

InformanteCésar Alves (M), 51 y.o., born at Landim (VILA NOVA DE FAMALICÃO) BRAGA,

Narrativa

When XX Century,

CrençaUnsure / Uncommitted

Classifications