[Coisas más - o grande cão]

APL 1672

Dum criado da Margarida já se contou atrás que a certa hora, quase sempre quando comia o caldo à noite, ouvia uma coisa, que ninguém sabe o que era, e dizia logo: “Lá vem o homem.” Não ouvia mais, e ia meter-se na barra onde dormia, porque, dizia ele, era obrigado a isso, estando na companhia da “alma”. Apesar de lhe chamar “o homem”, via-a sempre na figura de um cão. O João da Telhada viu-o também, quando estava à espreita para lhe dar um tiro. Viu de repente uma sombra como de um grande cão, e tal foi o medo que largou a espingarda e fugiu. A Margarida também uma vez, de noite, indo ao moinho de casa com uma mulher, viu de repente dentro do moinho uma grande sombra, tão espessa que a luz como que escureceu, Fugiu, e o terror recresceu- lhe, quando encontrando o tal criado, ele disse-lhe: “Ele aí vem”.

Fonte Biblio SARMENTO, Francisco Martins Antígua, Tradições e Contos Populares Guimarães, Sociedade Martins Sarmento, 1998 , p.238

Place of collection-, GUIMARÃES, BRAGA

InformanteMargarida (F),

Narrativa

When XX Century,

CrençaUnsure / Uncommitted

Classifications