Cuba

APL 1535

Havia no centro da praça d’esta villa um pôço quadrado, de 8 metros de profundidade, coberto com uma abobada de 4,50 m. de altura sobre columnas. Chamava-se Fonte do Diabo. O tecto interior da abobada tinha pintado S. Miguel e o Diabo. Era antiquissima. O povo cria que de noite faziam os diabos, duentes, bruxas, fantasmas, etc, suas sinagogas dentro d’este pôço d’alli sahiam a fazer toda a qualidade de diabruras.
 Acreditavam que, quem por alli passasse depois da meia-noite, sem fazer o signal da cruz, era agarrado pelos diabos e affogado.
 A camara mandou demolir a abobada e entupir o pôço, em Setembro de 1854, e nessa occasião appareceram alguns cadaveres no pôço.

Fonte Biblio PINHO LEAL, Augusto Soares d'Azevedo Barbosa de Portugal Antigo e Moderno Lisboa, Livraria Editora Tavares Cardoso & Irmão, 2006 [1873] , p.tomo II, p. 454-455

Place of collection Cuba, CUBA, BEJA

Narrativa

When XIX Century,

CrençaUnsure / Uncommitted

Classifications