Currêllos e Carregal

APL 1536

Ha em Currêllos um antigo castello quadrangular, com janellas ogivaes, que é actualmente propriedade do sr. Costa Magalhães. Chama-se Castello de D. Branca.
D’este castello se conta a lenda seguinte:
D. Branca de Vianna, teve dois filhos gémeos, e por não poder acreditar que eram de um só pae, mandou que lhe matassem o segundo nascido e lhe trouxessem a lingua, para signal de terem executado as suas ordens.
O pagem encarregado d’esta ordem cruel, mais humano do que a mãe degenerada, encontrando-se na margem do Mondego com o marido de D. Branca, lhe contou tudo. O fidalgo mandou que levassem á mulher a lingua de um cão, e ordenou que o menino fosse, em segredo, guardado em casa de um moleiro; trazendo-o sempre vestido como andava o irmão.
Pela festa do Espirito Santo, veio o menino á romaria, e o fidalgo sahiu com D. Branca e o outro filho, e disse á mulher «Aqui está um menino que se parece com o nosso, e que era digno de viver com elle e de ser nosso filho.»
Levou-o para casa e sentou-o á sua mesa.
D. Branca conheceu que o marido sabia tudo, e n’essa mesma noite se precipitou de uma das janellas do castello, morrendo da quéda.
D’alli por diante andava, de noite, um phantasma correndo estes sitios em uma carruagem, com grande séquito, e hia dizendo: «Aqui vae D. Branca, de Vianna, acompanhada por quantos diabos há no inferno.»
Segundo outra versão – D. Branca, andava vestida de branco (a pé) pela margem de Mondêgo, no sitio onde mandou afogar o filho, e acompanhada de um diabo em fórma de cão.

Fonte Biblio PINHO LEAL, Augusto Soares d'Azevedo Barbosa de Portugal Antigo e Moderno Lisboa, Livraria Editora Tavares Cardoso & Irmão, 2006 [1873] , p.tomo II, p. 460

Place of collection Currelos, CARREGAL DO SAL, VISEU

Narrativa

When XIX Century,

CrençaUnsure / Uncommitted

Classifications