Da Imagem de nossa Senhora do Rosario, do mesmo Convento de Odivelas

APL 3302

Muitas saõ as maravilhas que se referem obra a poderosa mão de Deos por meyo desta Santa Imagem: referirei tres, que saõ mais modernas; & seja a primeira. Havia naquelle Convento huma moça, chamada Maria de Escovar; a esta lhe deu hum mal muito grande em hum braço, com o qual se virão muito apertados os Cirurgiões, & em termos de lho cortarem. Vendose a moça nestes apertos, invocou a Senhora do Rosario em seu favor; & foy a Senhora servida de a livrar logo, alcançandolhe perfeita saude, com grande admiração dos Medicos, & Cirurgiões, que contestáraõ ser a saude milagrosa, & obrada contra todas as esperanças, & regras da Medicina: succedeo isto pelos annos de 1690.
    Outra moça havia no mesmo Convento chamada Maria Luis, a qual levada de huma diabolica tentaçaõ, se arrojou em hum poço do claustro novo, que tem vinte & tantas braças de alto, & de agua algumas treze, & o poço he muito estreito. Levava a moça ao pescoço o Rosario da Senhora, a quem invocou em sua ajuda: desceo abaixo hum homem para a tirar, & ambos sahirão sãos, & salvos: succedeo este milagre no anno de 1696.
    O terceiro foy, que outra moça chamada Barbora Lopes, era muito pobre, & achandose em taõ miseravel estado, que andava quasi descalça; tinha estas humas çapatas taõ rotas que já naõ tinhaõ por onde se terem, porque naõ tinhaõ solas, & andava com os dedos descubertos: foy se à Senhora, & mostroulhe os pés, pedindolhe lhe valesse. Alli mesmo lhe derão dinheiro de esmola, sem que vissem as que lho derão, a acçaõ que havia feito, nem ouvissem a sua petição, nem ella o manifestasse.

Fonte Biblio AGOSTINHO DE SANTA MARIA, Fr. Santuário Mariano Alcalá, Imperitura, 2007 [1711] , p.Tomo I, Livro II, Título L, pp. 419-420

Place of collection Odivelas, ODIVELAS, LISBOA

Narrativa

When XVII Century,

CrençaUnsure / Uncommitted

Classifications