Dona Mirra

APL 1023

Há muito tempo atrás, em São Leonardo de Galafura, vivia uma moura chamada Dona Mirra que se apaixonou por um homem cristão. Não podia casar com ele, pois o seu pai possuía grande riqueza e não queria que fosse parar às mãos de um pobretanas.
Mas a moura não queria obedecer ao pai e este não teve outra escolha senão encantá-la. A lenda diz que ela ficou a guardar as riquezas do seu pai, bem como a cidade do seu povo que era feita de ouro.
Ela só poderia ser desencantada quando na gruta onde ficou presa entrasse um homem de muita coragem, que não olhasse para trás, e levasse uma broa de quatro cabeças. A gruta tem duas entradas, uma voltada para a aldeia em forma de porta e outra voltada para o rio Douro. A porta voltada para a aldeia só se abre se esse homem ler o Livro de São Cipriano do fim para o princípio. Quem lá entrasse teria de passar diversos obstáculos.
A lenda diz que houve um homem que tentou desencantar a moura. Entrou na gruta e caminhou tanto, tanto, tanto, que pegou na broa que levava e comeu uma das quatro cabeças. Um pouco mais à frente, apareceu-lhe um cavalo de três pernas. O homem montou o cavalo que o levaria até à moura e mais adiante encontrou uma mulher metade cobra. Não era a moura, mas apenas um obstáculo que teria de passar para chegar até à cidade de ouro onde estava a moura que teria de beijar apaixonadamente para o encantamento acabar. Apesar da coragem que teve em chegar até ali, a verdade é que temeu e então ninguém soube mais nada do homem.
Ainda hoje a moura continua lá á espera de encontrar um homem que a tire de lá, e há quem diga que ela aparece cá fora em noites de nevoeiro para estender a sua branca roupa.

Fonte Biblio AA. VV., - Literatura Portuguesa de Tradição Oral s/l, Projecto Vercial - Univ. Trás -os-Montes e Alto Douro, 2003 , p.ME11

Ano2000

Place of collection Galafura, PESO DA RÉGUA, VILA REAL

Narrativa

When XX Century, 90s

CrençaUnsure / Uncommitted

Classifications