Elvas

APL 2689

Elvas tem por armas um homem a cavalo, armado com uma lança na mão direita da qual pende uma bandeira com as quinas de Portugal, e em roda do escudo a legenda

 CUSTODI DOMINE, UT PUPILLAM OCULI.
 
 O mais antigo documento que se acha selado com estas armas, é uma doação feita em 15 de dezembro de 1248.
É tradição que a origem d’estas armas foi o feito heroico praticado por o audiciosissimo cavalleiro Gil Fernandes d’Elvas (de quem já fallei) que havia protestado hir á praça de Badajoz e de lá trazer a bandeira real. Assim o fez, mas vindo uma multidão de cavalleiros castelhanos sobre elle e não lhe abrindo os d’Elvas as portas (com receio de alguma traição) elle disse – «Morra o homem e fique a fama!» - e arremeçando a bandeira por cima da muralha para dentro da praça, fez cara aos inimigos, atirando-se como furioso leão; porem morrendo na desegual lucta a matar castelhanos.
Dizem outros que o cavalleiro das armas não é Gil Fernandes, mas Sancho I, no acto de tomar Elvas aos mouros. É verdade que o cavallo tem os jaezes ornados com as Quinas; mas, nem os monarchas traziam a bandeira, mas sim seus alferes-móres. Julgo pois que o cavalleiro é Gil Fernandes e não o rei; mas como isto é questão de supposição, cada um siga a opinião que mais verosimil lhe parecer.

Fonte Biblio PINHO LEAL, Augusto Soares d'Azevedo Barbosa de Portugal Antigo e Moderno Lisboa, Livraria Editora Tavares Cardoso & Irmão, 2006 [1873] , p.Tomo III, p. 17

Place of collection-, ELVAS, PORTALEGRE

Narrativa

When XIII Century,

CrençaUnsure / Uncommitted

Classifications