[esponjinho]

APL 2903

Era uma vez uma mulherzinha que se chamava Maria, que ia por um caminho adiante, no meio de um pinhal, e veio um esponjinho e ela ficou no meio dele e abalou-lhe com o lenço que era preto. Ela queria metê-lo na cabeça, e ele não lho intregava. O lenço andava no ar, por cima da cabeça dela. Quando ela abriu o lenço, estava lá o retrato do inimigo. Tinha umas sapatalhonas, um rabo muito grande e um focinho. Metia respêto. Toda a gente que via aquele lenço com aquela figura se arrepiava. Ela nem quis esse lenço em casa. Deu-o a uma pobrezinha que andava a pedir pelas portas”.

Fonte Biblio SALVADO, Maria Adelaide Neto Remoínhos, Ventos e Tempos da Beira s/l, Band, 2000 , p.21

Ano1991

Place of collection Proença-A-Nova, PROENÇA-A-NOVA, CASTELO BRANCO

ColectorNatália Lourenço Nunes (F)

InformanteMaria dos Santos (F), 71 y.o.,

Narrativa

When XX Century,

CrençaUnsure / Uncommitted

Classifications