História da Nossa Senhora do Castelo

APL 2135

Consta-se que em Aljustrel, portanto, nos tempos remotos, nos tempos passados, existe hoje e ainda é uma capela, que é a Senhora do Castelo que é considerada a padroeira de Aljustrel.
 Já contavam os nossos antepassados ou avós ou talvez os bisavós um caso que aconteceu de onde deriva depois a Nossa Senhora que nós veneramos.
 Consta-se que, um pastor passeando o seu gado, ou apascentando o seu gado, nessa localidade encontrou uma bonequinha, e achou-a tão bonita... e ele tinha, (era um jovem) tinha uma filha.
 - “Eu vou levá-la para a minha casa”.
 E pegou na bonequinha e levou-a para casa. Chegou a casa, deu-a à filha. Ficou, ficou encantada. Nunca tinha visto uma boneca e como era criança adorou-a, deitou-se com ela nessa noite... dormiu com a bonequinha, mas qual é a surpresa quando de manhã acorda e a boneca não estava na cama, ficou muito triste e disse ao pai:
 - “A minha bonequinha desapareceu!”
 - “Ó filha mas que coisa tão esquisita”.
 Claro desapareceu, procurou-se e não se encontrou. O pai fez a sua caminhada para o mesmo local, portanto, para o castelo onde apascenta o seu rebanho e vê novamente a bonequinha. Ficou surpreendido, como é que é possível? Que a tivesse levado para casa e a tivesse dado à filha e ela voltasse à mesma localidade, pegou-lhe, acariciou-a e levou novamente para casa.
 Quando chegou a casa, a boa da filha ficou radiante com a bonequinha e contente com ela. Nessa noite deitou-se com ela, como na noite anterior, e de manhã não tinha consigo a bonequinha. Surpreso o pai, voltou ao mesmo local, lá estava ela.., então disse-lhe:
 - “Eu não sou uma bonequinha, eu sou Nossa Senhora do Castelo. Eu quero que nesta localidade seja erguida uma capelinha em meu nome”.
 (Acho que certamente já lá existia um castelo que era habitado pelos Mouros). A boa da... do povo logo sabendo tendo conhecimento disso erigiu uma capelinha em honra da Nossa Senhora do Castelo.
 Mas ao levantar essa capela há um caso muito insólito, quer dizer, no local, na rocha onde ela tinha sido realmente encontrada, fazia-se a capela e a rocha ficava de fora. No outro dia os pedreiros ao irem iniciar a obra a parede estava caída, caso esquisito, não é? Lá levantaram a parede, noutro dia a parede caia, quer dizer, tantas vezes fizeram aquilo até que despertaram que não podia ser, que fizeram? Resolveram fazer o seguinte: Por fim fazer erguer a parede, mas com a dita pedra do lado de dentro, pedra essa que ainda hoje lá está. (A capela, a pedra) A parede nunca mais caiu, a capelinha ergueu-se, ainda lá está hoje que nós todos visitamos e veneramos a Senhora do Castelo. Consta-se que foi esta a história ou o início daquela capela.

Fonte Biblio AA. VV., - Arquivo do CEAO (Recolhas Inéditas) Faro, n/a,

Ano1997

Place of collection Aljustrel, ALJUSTREL, BEJA

ColectorCristina Revez (F)

InformanteMaria da Felicidade Leitão (F), born at Aljustrel (ALJUSTREL) BEJA,

Narrativa

When XX Century,

CrençaUnsure / Uncommitted

Classifications