História de S. Romão da Citânia

APL 1644

Antes de ser santo, Romão convidou uma mulher para fins desonestos e foram para o monte. Procuraram um sítio escuro, mas a mulher não achava nenhum bom; dizia: “aqui vêem-nos” — e subiram assim até à coroa do monte. A mulher não teve que dizer, mas Romão disse por sua vez:
 “Aqui não, que nos vê Deus.”
 Mas ele pousou a cabeça no regaço da mulher; esta começou a catá-lo e, encontrando um piolho, matou-o. No mesmo momento morreu Romão.
 A mulher desceu do monte sem contar nada do sucedido; mas, passando-se três anos sem chover e sabendo a mulher que o povo queria ir ao alto do monte (não se diz com que fim), contou tudo, e ela mesma foi mostrar ao povo o sítio, onde Romão morrera. Acharam-no inteiro (como S. Torcato), e eis, porque o povo, quando quer chuva, vai levar ainda ao alto a estátua do Santo.
 O santo de carne foi para qualquer parte.

(Aditamento)
 
 Não choveu três anos. Enquanto o povo se lamentava, a mulher cantava:

“Quem quiser chuva na terra
Vá por S. Romão à Serra.”

 Um padre, que a mulher servia num tempo, tantas vezes lhe ouviu dizer isto, que lhe pediu explicações. Ela contou-lhe o que sucedera, e, como o padre lhe pediu que ela lhe mostrasse o sítio, onde morrera Romão, ela respondeu assustada que não ia; mas que seguisse ele a cadela que ela tinha, porque ela passava todo o tempo a guardar o corpo de Romão e só vinha a casa para comer. O padre assim fez, e foi dar com o corpo inteiro, embrulhada a cabeça no avental, com que a mulher o cobrira. O corpo foi trazido da serra, e começou então a chover. Hoje está em Coimbra.

Fonte Biblio SARMENTO, Francisco Martins Antígua, Tradições e Contos Populares Guimarães, Sociedade Martins Sarmento, 1998 , p.135-136

Place of collection-, GUIMARÃES, BRAGA

Narrativa

When XX Century,

CrençaUnsure / Uncommitted

Classifications