Lenda da bácora russa

APL 284

Quem subir a estrada do Belogão, no lugar da Portela, a cerca de 200 m do cruzamento do Calvário, poderá encontrar escondida com uma sebe de cedros uma poça com uma grande mina.
 Segundo a lenda, ao badalar a meia noite na Igreja Matriz de Oliveira do Conde saía da referida mina uma grande porca com uma ninhada de leitões. Muitas foram as pessoas que, cheias de medo, afirmaram ter visto, àquela hora, o animal e os seus filhos.
 Escusado será dizer que logo ao pôr do Sol já ninguém por ali queria passar receando encontrar os bichos que, no dizer do povo, era o diabo com seus diabinhos; outros, porém, afirmavam que se tratava de uma bruxa que ali vivia escondida e, ao bater da meia noite, se transformava numa porca que com os seus filhos passeava e pastava nas valetas da estrada romana que ali existia.
 Com a construção actual da Estrada Nacional, há cerca de 100 anos, o aparecimento do Caminho de Ferro e instalação da luz eléctrica, o lugar passou a ter um grande movimento de pessoas, automóveis e outros veículos. O medo de ali passar, a certas horas da noite, desapareceu. Mas, o lugar - mina e poça - ali continuam com o mesmo nome de «Bácora Russa».
 As pessoas mais antigas a quem em criança era contada esta lenda, continuam a contá-la também aos seus netos, principalmente nas grandes noites de Inverno, quando estes solicitam à avozinha uma história.
 Assim se vai perdendo o medo, acabando as bruxas, os encantos e até o diabo já não se atreve a andar por certos lugares, como fazia outrora.

Fonte Biblio ALVES, Maria da Piedade Lopes Memória e Tradições Carregal do Sal, DREC - CAEV coord. concelhia de Carregal do Sal, 1995 , p.24-25

Place of collection Oliveira Do Conde, CARREGAL DO SAL, VISEU

Narrativa

When XX Century, 90s

CrençaUnsure / Uncommitted

Classifications