Lenda da Buraca da Moura

APL 829

Havia uma moura que vivia numa buraca no Chão do Galego. É uma buraca grande que ainda hoje lá está; cabe nela uma junta de bois e sete pares a dançar... Era lá que os pastores a viam e falavam com ela. Quando ela se estava a pentear, perguntava aos pastores: — Olhem lá, qual é o mais bonito, é o meu ouro, ou o meu cabelo? Se eles diziam: - É o teu ouro! Não lhes dava nada, zangada com eles. Se eles diziam: — É o teu cabelo! Ficava contente e dava-lhes uma caixa de fósforos com carvões e, no dia seguinte, a caixa, em vez de carvões, tinha bocados de ouro. Por isso, os pastores começaram a gostar muito dela e sempre iam conseguindo algum ouro.
 A moura morava na buraca mas tinha um forno ao cimo do Sobral Fernando, num lugar chamado Entre-as-Senas. Também lá tinha uma buraca bem arranjada e uma eirinha onde ela espalhava o ouro. Por baixo havia um subterrâneo com um corredor por onde ela ia buscar água ao pego do Vale Mourão que é na Foz do Cobrão. Só havia um homem que mergulhava bem no pego e via a claridade do corredor por onde ela passava. Ninguém conheceu o fim dela.

Fonte Biblio VILHENA, M. Assunção Gentes da Beira Baixa Lisboa, Colibri, 1995 , p.99

Place of collection Montes Da Senhora, PROENÇA-A-NOVA, CASTELO BRANCO

InformanteMaria do Púpulo (F), Montes Da Senhora (PROENÇA-A-NOVA) CASTELO BRANCO,

Narrativa

When XX Century, 90s

CrençaUnsure / Uncommitted

Classifications