Lenda da Canada do inferno

APL 1358

Há muitos anos atrás, vivia na freguesia da Ribeira Seca, em S. Jorge, um senhor muito rico e que, por isso, era muito respeitado naquela ilha, sendo a sua palavra quase palavra de rei.
 A certa altura da sua vida uma coisa que não lhe era habitual sucedeu. Foi intimado para ir, certo dia, a tribunal, responder por ter matado um homem. Nessa altura ainda não havia automóveis, nem se sonhava o que isso seria. O homem tinha que ir a cavalo e o tribunal ficava a uma distância de trinta quilómetros, na vila das Velas. Por isso teve que pôr-se a caminho de manhã, bem cedo, para chegar a horas ao julgamento.
 Ia contra sua vontade pois era uma vergonha um homem como ele ir a tribunal como réu. Todo o caminho foi melhorando o plano diabólico que tinha arquitectado.
 Chegada a altura do senhor ser questionado, jurou falso e incriminou um pobre homem que nada tinha a ver com o crime. Tudo correu como o senhor rico desejava e ficou livre.
 Voltou para casa feliz, montado no seu cavalo. A certa altura, já era noite escura, passou por uma canada e deparou-se com uma visão terrível: viu o inferno à sua frente; montes de lume, almas medonhas e aterrorizadas começaram a rondar à volta do cavalo e ameaçavam o homem. Ele sentiu muito medo e ficou arrependido do juramento falso que tinha feito em tribunal.
 Vendo-se naquele estado desesperado, prometeu a Nossa Senhora que, se Ela o ajudasse naquele momento de aflição e o livrasse das chamas do Inferno que o circundavam, ia remediar o falso juramento e ia mandar construir uma ermida, naquele lugar, a Nossa Senhora.
 A Virgem respondeu ao apelo do homem desesperado e logo o fogo e as almas infernais desapareceram.
 Como prometera, o homem voltou a reabrir o processo em tribunal e remediou o seu erro. Mandou também construir uma bonita ermidinha a Nossa Senhora, em sinal de agradecimento.
 A essa canada onde o homem passou momentos tão aflitivos, por se ter deparado com uma visão do inferno, passou a chamar-se Canada do Inferno.
 O nome ainda hoje se mantém e, nessa canada, ainda se vêem vestígios da ermidinha, levantada pelo homem que tinha jurado falso. Alguns jorgenses conhecem esta lenda com o nome de “Lenda do Juramento Falso”.

Fonte Biblio FURTADO-BRUM, Ângela Açores: Lendas e outras histórias Ponta Delgada, Ribeiro & Caravana editores, 1999 , p.194-195

Place of collection Ribeira Seca, CALHETA DE SÃO JORGE, ILHA DE SÃO JORGE (AÇORES)

Narrativa

When XX Century, 90s

CrençaUnsure / Uncommitted

Classifications