Lenda da Cova da Moura

APL 3230

Um sardinheiro passou junto à cova da moura apregoando em altos gritos a sua mercadoria, apareceu-lhe a moradora — uma linda moura, que em voz repassada de ternura lhe pediu para não fazer barulho, como paga encheu-lhe de peças de oiro os seirões do jumento, pasmou o homem ao ver que em vez de dinheiro era carvão o conteúdo dos seirões. Então a gentil muçulmana explicou-lhe que depois de percorrida determinada distância todo aquele carvão se converteria em puríssimo oiro, mas era necessário não deixar cair um só bocado, não para evitar que os restantes beneficiassem da transformação, mas para que ela e o seu senhor, fossem desencantados.
    Cumpriu-se a promessa, e quando o sardinheiro contemplava atónito o seu tesouro, cruzou-se com ele um vendedor de fruta que quis saber tão grande fortuna. No meio do relato, o vendedor de fruta sem dar tempo a que o companheiro lhe contasse a metamorfose sofrida pelo dinheiro — partiu em louca correria em direcção ao local, em busca de idêntica sorte, gritou com toda a força dos seus pulmões, mas foi um guerreiro árabe, e não a linda moura que lhe apareceu.
    Identicamente, ao que a sua favorita fizera ao sardinheiro encheu-lhe as cestas com carvão. Então o homem, enfurecido, agarrou num dos cestos e despejou-o, não tendo feito o mesmo ao outro porque o mouro armado de uma adaga investiu contra ele, só o deixando quando já estavam longe.
    Fatigado e maldizendo a sua sorte, sentou-se o vendedor de fruta numa pedra, mas ao tirar do ombro o cesto que lhe restava viu com surpresa que estava repleto de moedas de oiro.
    Com o seu desastrado procedimento perdeu metade da fortuna e só não desencantou, totalmente, os moradores da cova — porque só entornou o carvão contido num dos cestos, quebrou-lhes parte do encanto. É por isso que em determinadas noites se ouvem gemer no interior da cova. O casal sofre, desde então o seu meio desencanto.

Fonte Biblio AA. VV., - Arquivo do CEAO (Recolhas Inéditas) Faro, n/a,

Ano1937

Place of collection-, CHAMUSCA, SANTARÉM

ColectorManuel José Carvão Guimarães (M)

InformanteÁlvaro do Amaral Netto (M),

Narrativa

When XX Century,

CrençaUnsure / Uncommitted

Classifications