Lenda da fonte dos sinos

APL 1944

Conta-se que certo dia andava um homem a lavrar as suas terras quando sentiu que a relha do arado tocava numa coisa dura. Intrigado, pensando estar ali algum tesouro escondido, pôs-se a escavar naquele sítio acabando por deixar a descoberto um pequeno sino (sineta).
 No local e após retirar o sino, brotou um fio de água, que o lavrador aproveitou para nela lavar as mãos calosas e com algumas chagas provocadas pelas mazelas inerentes ao trabalho agrícola.
 Guardou o sino e continuou a lavrar. À noite, quando largou o trabalho, voltou a lavar as mãos na poça da água, que continuava a nascer em grande quantidade. À medida que o homem ia lavrando a terra, ia-se lavando naquela água e ao fim de dois ou três dias verificou que as chagas que tinha nas mãos se tinham curado completamente.
 O lavrador transmitiu a outras pessoas o ‘milagre” que acontecera e toda a gente corria a lavar as chagas do corpo naquela água.
 No local construiu-se uma fonte com pedras e ainda hoje lá está a ser utilizada pela população para tratar doenças da pele e problemas digestivos. O sino, dizem, é o mais pequeno que se encontra na torre da igreja.

Fonte Biblio MILHEIRO, António S. Miguel de Acha - Memórias da Cultura Tradicional Idanha-a-Nova, Câmara Municipal de Idanha-a-Nova, 2002 , p.39

Place of collection São Miguel De Acha, IDANHA-A-NOVA, CASTELO BRANCO

Narrativa

When XX Century,

CrençaUnsure / Uncommitted

Classifications