Lenda da grade de ouro

APL 228

A freguesia de Crestuma, tão característica, tão aprazível e bucólica, tem já muita idade, bem como o rio Uima que a atravessa e aí desagua.
Diz-se que, sob a ponte que lá existe, está, há séculos, encantada e afogada uma grade de ouro.
 O encantamento só pode ser quebrado por um lavrador que tenha tenha vaca que dê à luz dois touros de um ventre na noite de S. João e que deixe os bezerros mamarem o leite todo.
 O lavrador não pode, em face dos ditames da crença, aproveitar-se do leite, seja a que título for.
 Se o lavrador der cumprimento à prescrição pode, passado um ano, com os tourinhos já criados e jungidos, apor-lhes a grade de ouro que, ao passar da meia-noite, virá à tona de água.
 Aconteceu há anos que um lavrador de Sá, dono de uma vaca, preencheu os exigidos requisitos, pois numa noite de S. João ela teve de uma só vez dois touros.
 Conhecedor da lenda e dos seus segredos, o agricultor feliz deixou a vaca criar os filhos com o leite todo, no incontido desejo de poder um dia conquistar a grade de ouro que, debaixo da ponte do rio Uima, se propunha desencantar.
 Passado o ano e à hora determinada o lavrador dirigiu-se para o local misterioso com os animais.
 Pela meia-noite viu efectivamente a grade a boiar nas águas.
 Então, exultando de alegria, ligou-a ao tamão, depois de a retirar do rio.
 Quando iniciava a marcha de regresso a casa, cheio de satisfação por ter conseguido apoderar-se do tesouro, exclamou no isolamento do caminho:
 E/a, com Deus, cá vai...
 Mas a grade atenta retorquiu:
 O pior foi o leite que tiraste e que deitaste pelo lombo da vaca…
  E, num momento, desapareceu.
 Com efeito, o lavrador, em certo dia, esquecendo-se de que o leite pertencia todo aos bezerros, chegou a mungir a vaca.
 Quando se lembrou suspendeu a operação arriscada, deitando pelo lombo abaixo da vaca o leite que tinha tirado.
 Assim perdeu a grade de ouro, mercê da sua falta de atenção, não constando que outro lavrador se tenha alguma vez candidatado.
 Existem lendas noutras terras em que também intervêm a grade de ouro, mas esta de Crestuma parece-nos extremamente sugestiva.

Fonte Biblio VALLE, Carlos Revista de Etnografia, Tradições Populares de Vila Nova de Gaia Porto, Junta Distrital do Porto, 1965 , p.131-132

Place of collection Crestuma, VILA NOVA DE GAIA, PORTO

Narrativa

When XX Century, 60s

CrençaUnsure / Uncommitted

Classifications