Lenda da Igreja de Santo António

APL 1367

Há cerca de quatrocentos anos, na freguesia de Santo António, em S. Jorge, ainda só havia uma ermida pequenina, cujo padroeiro era Santo António. A pequena igreja ficava pela Ribeira de Santo António abaixo, num lugar pouco acessível, onde agora é um palheiro.
 A partir de certa altura, todas as manhãs, Santo António aparecia no lugar onde depois se construiu a igreja, junto do caminho principal da freguesia. As pessoas que souberam do acontecimento e os que viram a imagem ali, naquele lugar, ficaram muito admiradas e perguntavam-se como poderia ser tudo aquilo. E voltavam a levar a imagem para a sua ermida.
 Até que descobriram. O santinho saía da ermida, saltava a ribeira e vinha pela relva, onde começou a ficar traçado um carreirinho feito pelos pés do santo. As roupas de Santo António eram testemunho da viagem feita. De manhã, quando aparecia cá em cima, os trajes estavam todos enrabeirados do orvalho.
 Ninguém duvidava já. Era mesmo o santinho que vinha por seu pé ter àquele lugar.
 E estas viagens duraram algum tempo até que o povo da freguesia chegou à conclusão que Santo António não queria estar lá em baixo, em lugar de tão difícil acesso para os devotos e crentes que quisessem visitá-lo ou ouvir missa.
 As pessoas uniram-se e puseram mão à obra. Construíram uma igreja grande e bonita no centro do povoado, que ficou pronta em mil quinhentos e noventa e três.
 Já foi remodelada várias vezes, mas mantém-se sempre no mesmo lugar onde Santo António mostrou que era a sua vontade.

Fonte Biblio FURTADO-BRUM, Ângela Açores: Lendas e outras histórias Ponta Delgada, Ribeiro & Caravana editores, 1999 , p.204-205

Ano1593

Place of collection Santo Antão, CALHETA DE SÃO JORGE, ILHA DE SÃO JORGE (AÇORES)

Narrativa

When XVI Century, 80s

CrençaUnsure / Uncommitted

Classifications