Lenda da Pedra Mourinha

APL 1811

Era uma vez uma princesa muito bonita, Moura, que se apaixonou por um cristão pobre. O pai da rapariga não queria que o casamento se realizasse porque o homem era cristão e pobre.
 Havia uma ama da princesa, mas muito sua amiga, que ao saber do desgosto da princesa a tentou ajudar, da forma que podia. Assim, a ama da princesa marcou um encontro entre os apaixonados. A princesa continuava com o problema de passar pelos guardas do seu pai para sair do castelo. Então a ama deu um chá aos guardas para estes adormecerem, e foi assim, à hora marcada encontraram-se a princesa, a ama, o homem cristão e o padre, para que a princesa se pudesse casar com o seu amado.
 Quando se estava a realizar o casamento apareceu o pai da princesa e os guardas que vinham para matar os quatro, a princesa, a ama, o homem e o padre. Mas, no momento em que iam matá-los, os guardas foram envolvidos por uma nuvem, que depois se tornou numa pedra. E, a esse sítio começou a chamar-se Pedra Mourinha, local onde, ainda hoje, se diz que estão todos encantados. Ainda hoje se diz que estão todos encantados porque muitas pessoas antigas costumam dizer que nessa dita pedra por volta da meia-noite aparecia lá uma luzinha, sinal de que era o encantamento. De forma que a princesa, o homem (e o) cristão, a ama e o padre e os guardas lá continuam.

Fonte Biblio AA. VV., - Arquivo do CEAO (Recolhas Inéditas) Faro, n/a,

Ano1998

Place of collection-, PORTIMÃO, FARO

ColectorPatrícia Conceição (F)

InformanteMaria Manuela Duarte (F), 57 y.o., - (PORTIMÃO) FARO,

Narrativa

When XX Century,

CrençaUnsure / Uncommitted

Classifications