Lenda da Serpente

APL 2605

Esta também é do Castelo [de Paderne]. Havia um senhor que se fazia de muito forte e que não tinha medo de nada e disse para os outros que era capaz de ir ao Castelo à meia-noite e não tinha medo nenhum. Então lá vai ele, de espingardinha, foi ao Castelo. Chegou lá, estava uma grande serpente e o homem ficou todo assustado, a serpente a olhar para ele, pega na espingarda, para disparar, puxa o gatilho mas aquilo não disparou nada. Torna a meter outra bala lá, outra coisa, puxa o gatilho outra vez e nada. Olha o homem desalvorou porque o bicho não se ia embora ele cheio de medo correu, deixou cair o chapéu, nem olhou para trás. Chegou cá fora do Castelo, mete o dedo ao gatilho e aquilo disparou logo. Pronto e lá ficou o chapéu, no outro dia foi buscá-lo.

Fonte Biblio AA. VV., - Arquivo do CEAO (Recolhas Inéditas) Faro, n/a,

Ano2009

Place of collection Paderne, ALBUFEIRA, FARO

ColectorAna Cláudia Coelho (F)

InformanteMaria Graciete Coelho (F), 74 y.o., born at Paderne (ALBUFEIRA) FARO,

Narrativa

When XX Century,

CrençaUnsure / Uncommitted

Classifications