Lenda da Torca de Balmeão

APL 3767

Junto a um lameiro, no termo de Vilar de Peregrinos, concelho de Vinhais, há um lugar que o povo conhece como a Torca de Balmeão, onde passa um pequeno ribeiro e para onde as mulheres costumavam levar o linho para ficar macio.
    Diz que, há muito tempo, ficou ali uma moura encantada com um bebé, que muitas vezes se ouve chorar. E também se diz que ela só se livraria do encanto se o bebé fosse baptizado, e que, para ficar baptizado, bastaria que fosse amamentado por uma mulher que também estivesse baptizada.
    Um dia uma mulher da aldeia foi tirar o linho da laga [local onde o linho fica a amaciar], e deixou ficar o seu menino a dormir à sombra de umas árvores do lameiro enquanto ela trabalhava. Então a moura, que estava à espreita, foi lá e trocou os bebés, ficando à espera que a mulher lá fosse dar de mamar.
    Dali a nada, a mulher ouvia uma voz que lhe dizia:
    — Ó mulher do linho, vai Calar o teu menino!
    Mas ela, como conhecia bem o filho, e como o tinha deixado bem farto, só respondia:
    — O meu bem calado está!
    E continuava o seu trabalho sem lhe dar ouvidos. Por fim a moura, cansada de ouvir o seu menino a chorar tanto, voltou a ir lá e destrocou-os. Diz-se que, por isso, ainda lá continua na Torca do Balmeão, com o filho a chorar, à espera de ser baptizado. E também se diz que o som do ribeiro, quando vem mais forte, é o choro do bebé.

Fonte Biblio PARAFITA, Alexandre A Mitologia dos Mouros: Lendas, Mitos, Serpentes, Tesouros Vila Nova de Gaia, Gailivro, 2006 , p.382-383

Ano1999

Place of collection Vilar De Peregrinos, VINHAIS, BRAGANÇA

InformanteAna Maria Fernandes (F), 78 y.o.,

Narrativa

When XX Century,

CrençaUnsure / Uncommitted

Classifications

MotivosTh [F321.1.] Changeling. ---- Fairy steals child from cradle and lea