Lenda de Mira Gaia

APL 1834

A filha do Emir, senhor, por conseguinte, da cidade do Porto, onde hoje é a cidade do Porto, tinha-se apaixonado por um cristão e ela chamava-se Gaia, a menina chamava-se Gaia e entretanto o pai não quis, nem pensar, que a filha se pudesse ligar a um cristão e obrigou-a a casar com um senhor, também das terras aí de Santa Maria, que era as terras ali de Vila Feita, que era um outro árabe rico e poderoso, mas muito velho. E obrigou Gaia a casar com esse senhor velho; só que Gaia vivia muito infeliz. Realmente, ela não gostava dele; ela só gostava do tal cristão que várias vezes passava no Douro para que ela, das muralhas o visse.
 Ela, numa das vezes que pôde fugir, porque tinha uma aia que facilitava-lhe a fuga, ele teria-lhe dito, teria-lhe confessado que, num determinado dia, estavam a pensar fazer um assalto, mas tinham que ter alguém que facilitasse a abertura da porta principal, e Gaia prometeu fazê-lo. Claro que o marido apercebeu-se, quando começaram a entrar as tropas cristãs, de que Gaia é que podia ter facilitado aquilo, porque a viu de uma das muralhas.
 Ele dá o grito aos árabes para todos fugirem para dentro dos barcos que estavam no Douro e ele, ao fugir, agarrou na mulher e trá-la com ele. Obrigou-a a entrar dentro de um barco e, então, já a cidade do Porto, dominada pelos cristãos; Gaia está à saída da Foz, logo na outra margem, que é Gaia, hoje; está dentro do barco e, então em cima das muralhas, está o cristão e ela, coitadinha, está agarrada pelo marido, dentro do barco. E ele olhou para ela e ela ainda olha para a muralha e vê o cristão, a quem ela tinha facilitado a abertura da muralha.
 E, então, ele diz-lhe:
 - Mira, Gaia.
 Por isso é que tem a tal Mira Gaia, aquela terra que é mesmo ali em baixo, Mira Gaia.
 - Que esses teus lindos olhos não mais terão que mirar; além, naquelas muralhas, uns outros te vão chorar.
 E cortou-lhe a cabeça e a cabeça dela caiu para a zona onde hoje é Mira Gaia.

Fonte Biblio AA. VV., - Arquivo do CEAO (Recolhas Inéditas) Faro, n/a,

Ano2003

Place of collection-, FARO, FARO

ColectorPaula Almeida (F)

InformanteMaria Filomena Ferreira (F), 58 y.o., - (FARO) FARO,

Narrativa

When XX Century,

CrençaUnsure / Uncommitted

Classifications