Lenda do buraco da Muradelha

APL 3623

Havia nestas paragens um príncipe mouro que tinha uma filha casadoira muito bonita e que foi pedida em casamento por um outro príncipe, também mouro, muito rico e muito do agrado do seu pai.
    A jovem, como não gostava do noivo, passou a andar muito desgostosa e, para espalhar a tristeza, costumava ir para o monte cantar. Entretanto, o noivo, ao saber que ela o não queria, e pensando que ia para o monte em busca de alguém do seu agrado, enfeitiçou-a.
    Passado algum tempo, andava um pastor a guardar o seu rebanho, quando foi atraído por uma voz de mulher. Foi sempre atrás do som que ouvia, e acabou por ir dar ao monte da Muradelha, situado próximo de Vale de Salgueiro, concelho de Mirandela. Deparou então com uma moura encantada, que era metade mulher e metade cobra. E à cintura trazia uma corrente de ouro. Ele ficou muito admirado e assustado. Disse-lhe então ela:
    — Não tenhas medo. Um beijo teu basta para desfazer o meu encanto. E em troca dar-te-ei esta corrente de ouro.
    O pastor encheu-se de coragem e beijou-a. E assim o encanto da moura se quebrou, transformando-se numa bela jovem, que logo se apaixonou pelo seu salvador, Contudo, como sabia que esta paixão jamais seria aceite por seu pai, e sabendo que ele a aguardava para a entregar ao noivo, a jovem resolveu fugir, lançando-se ao rio Rabaçal.
    E o pastor, vendo-a lançar-se, foi atrás dela, mas pelo “Buraco da Muradelha”, por onde vai uma mina, com cerca de três quilómetros, dar ao rio Rabaçal. Só que nunca mais se encontraram. Dizem os velhos que todas as noites de lua cheia a moura sobe o rio e vem ao cimo do monte cantar para o pastor.

Fonte Biblio PARAFITA, Alexandre A Mitologia dos Mouros: Lendas, Mitos, Serpentes, Tesouros Vila Nova de Gaia, Gailivro, 2006 , p.277

Ano2000

Place of collection Vale De Salgueiro, MIRANDELA, BRAGANÇA

InformanteMaria da Graça Garcia (F), 43 y.o.,

Narrativa

When XX Century,

CrençaUnsure / Uncommitted

Classifications