Lenda do Caunho

APL 506

Dizem que no tempo dos mouros no lugar do Caunho, em Agrochão, se oubia um tear a tecer, e ia lá muita gente do pobo oubir. Curioso com o facto, foi lá também um homem e apareceu-lhe uma cobra que lhe disse:
 - Se me deixares dar-te um beijo, faço-te feliz.
 O homem aceitou. No entanto, quando ela se aproximou tebe medo e desbiou-se.
 Então a cobra disse-lhe:
 - Ah Ladrão! que me dobraste o encanto.
 Ainda hoje dizem oubir o tear.

Fonte Biblio FERNANDES, Celina Maria Busto Ecos do Passado, Vozes do Presente n/a, Sons da Terra, 2001 , p.130

Place of collection Agrochão, VINHAIS, BRAGANÇA

InformanteCacilda dos Anjos Morais (F), 95 y.o., Agrochão (VINHAIS) BRAGANÇA,

Narrativa

When XXI Century,

CrençaUnsure / Uncommitted

Classifications