Lenda do Penedo Rachado

APL 794

Situa-se no Fradinho. E o que lá está feito foi obra dos mouros. É um penedo enormíssimo, e eles, os mouros, viram-se obrigados a rachá-lo ao meio, porque o não puderam tirar de lá. E depois de o racharem, tiveram medo de o botar para a parte de baixo, pois podia-se perder tudo por ali abaixo. Deus nos livre. Ia até ao rio. Ficou então assim, como está, e com o nome de Penedo Rachado.
 Mas mais tarde, os mais novos daqui deram-lhe também o nome de Fraga do Sapateiro. E eu explico porquê. É que ali, perante as duas fragas, se se for encostar o ouvido a uma delas, sente-se um barulho. São as águas do ribeiro, o ribeiro do Fradinho, a zoar: ta-ran-tam, ta-ran-tam!
 E então os mais velhos chamavam lá os mais novos e diziam-lhes:
 — Anda cá ouvir o sapateiro!
 Eles iam, punham lá a cabeça, e os outros davam-lhes com ela na fraga. Aquele barulho não é mais que o eco do ribeiro, mas parece mesmo um sapateiro a bater a sola.

Fonte Biblio PARAFITA, Alexandre Património Imaterial do Douro - Narrações Orais (contos, lendas, mitos) Vol. 1 Peso da Régua, Fundação Museu do Douro, 2007 , p.207

Ano2007

Place of collection Tabuaço, TABUAÇO, VISEU

ColectorAlexandre Parafita (M)

InformanteJosé Celestino Machado Moita (M), 65 y.o., Tabuaço (TABUAÇO) VISEU,

Narrativa

When XXI Century,

CrençaUnsure / Uncommitted

Classifications