Linda-a-Pastora

APL 185

Em tempo que a memória não alcança, vivia, só e sem casa, no verdejante e úbere vale do rio Jamor, uma jovem pastora, com seu rebanho de ovelhas. Vivia alegre, em paz consigo e com a natureza, naquele então ermo, onde ninguém a perturbava.
 Mas, certo dia, esta bucólica tranquilidade foi subitamente interrompida pelo tropel de agitada cavalgada. Era um rei que passava, com seu séquito. Inesperadamente, a comitiva estacou. É que o rei parara. O olhar vigoroso e sobranceiro de personagem de tão elevada estirpe fixara-se nos olhos ternos, bonitos e temerosos da bonita pastora, extasiado com tanta beleza e simplicidade.
 Enlevado, o rei inteirou-se da situação da jovem pastora e, condoído, logo ali ordenou a um dos seus validos que a enroupasse condignamente, dizendo: aninha a pastora. Mas também deu instruções para que lhe construíssem uma casa, um abrigo seguro. E esta morada foi o embrião da povoação que, depois, tomou o nome de Ninha Pastora.
 Conta-se que o rei – ou cavaleiro, como outros preferem – casou com a bonita e simples pastora e nesta casa viveram felizes...

 

Fonte Biblio MIRANDA, Jorge Viagem pelas Lendas do Concelho de Oeiras Oeiras, Câmara Municipal de Oeiras, 1998 , p.30

Place of collection-, OEIRAS, LISBOA

Narrativa

When XX Century, 90s

CrençaUnsure / Uncommitted

Classifications