Lisboa (10) PORTA DO MONIZ

APL 3266

No dia 21 de outubro (dedicado ás Onze Mil Virgens) do anno de 1147, foi, como já fica dito n’este artigo, o ultimo ataque e a tomada de Lisboa aos mouros; porque os portuguezes e alliados, se achavam exhaustos e cançados por cinco mezes de cêrco, e tinham jurado vencer ou morrer.
Combatiam os catholicos com furia desusada para conquistarem a cidade; porém, os mouros, com egual ousadia tratavam de vender caras as vidas, em defeza de suas familias, das suas casas e da sua bella cidade de Lisboa.
Não cessavam os instrumentos então em uso, na diligencia de baterem e derrubarem os muros, e arrombarem as portas.
Em uma d’estas, que ficava na muralha do N. do castello, se travou durissimo combate; porque abrindo-a os portuguezes, acudiram os moiros para a fecharem.
Então o valoroso Martim Moniz (filho de Egas Moniz, e progenitor dos actuaes marquezes de Castello Melhor, e de todos os Vasconcellos) se deitou no chão, segurando uma das portas com os pés e a outra com os hombros.
Os mouros o mataram ás lançadas, mas o seu cadaver ainda serviu de impedimento a que as portas se fechassem.
Desde então, e ainda hoje se chama porta do Moniz áquella em que teve logar este acto de abnegação d’aquelle portuguez benemerito.

Fonte Biblio PINHO LEAL, Augusto Soares d'Azevedo Barbosa de Portugal Antigo e Moderno Lisboa, Livraria Editora Tavares Cardoso & Irmão, 2006 [1873] , p.Tomo IV, p. 384

Place of collection Castelo, LISBOA, LISBOA

Narrativa

When1147

CrençaUnsure / Uncommitted

Classifications