O barqueiro

APL 1159

Antigamente a passagem pelo rio fazia-se através de barcos puxados à vara ou remo.
 Havia um barqueiro, no tempo do meu bisavô que transportava as pessoas para a outra margem do rio, certo dia o barqueiro, ouviu chamar e dirigiu-se ao barco. Voltou a ouvir chamar da outra margem e quando o dado disse: “Ainda que seja o diabo vou passá-lo”. Quando chegou à outra margem entrou para dentro do barco e uma coisa pesada que quando entrou, quase afundava o barco.
 O barqueiro ficou convencido que era o diabo perdeu a fala e desatou a fugir para casa sem olhar para trás. Nisto sentiu grandes gargalhadas e ficou sem saber do que se tratava.

Fonte Biblio MOURA, José Carlos Duarte Histórias e Superstições na Beira Baixa Castelo Branco, RVJ editores, 2008 , p.16

Place of collection Pampilhosa Da Serra, PAMPILHOSA DA SERRA, COIMBRA

Narrativa

When XX Century, 90s

CrençaUnsure / Uncommitted

Classifications