O Borrego

APL 1956

     Três amigos combinaram fazer uma patuscada: um dava um borrego, outro dava o pão e o terceiro arranjaria o vinho.
 Seguidamente, cada um foi ver o produto que lhe coubera levar.
     O primeiro, como não tinha gado dirigiu-se a um vizinho para roubar um cordeiro. Bem o procurou em todo o rebanho, mas não conseguiu encontrar nenhum. Então pensou ele em voz alta:
     - Não me aparecesse aqui um borrego nem que fosse o diabo! Palavras não eram ditas, surgiu-lhe logo ali um de cor preta, muito mansinho.
     Pegando nele às costas, levou-o ao sítio combinado.
     Ainda não andara muito, quando o animal lhe começou a magoar os ombros devido ao demasiado peso que tinha. Não aguentando mais a carga, deitou o borrego no chão que logo abriu a boca, deitando a língua muito negra de fora.
     O homem, ao ver assim a boca do animal, estranhou:
     - O diabo do borrego tem a língua tão negra!...
     O animal observou-lhe:
     - Então não é como a do teu pai?
     - Jesus! Santo Nome de Jesus! - clamou ele.
     A estas palavras o borrego - figura do diabo deu um estouro e desapareceu.

Fonte Biblio AA. VV., - Arquivo do CEAO (Recolhas Inéditas) Faro, n/a,

Place of collection Ferro, COVILHÃ, CASTELO BRANCO

ColectorMaria da Ascensão Rodrigues (F)

Narrativa

When XX Century,

CrençaUnsure / Uncommitted

Classifications