O Borreguinho

APL 1829

O meu avô, no outro tempo, ia-se às feiras, ia-se nos burros. Então, (isto aconteceu com o meu avô, com o meu bisavô, assim é que foi, o avô do meu pai) e então naquele tempo iam às feiras, mesmo que fosse longe e iam de burro.
 Iam de burro e ele foi à feira de Portimão. Tinha ido à feira de Portimão, lá a cavalo de um burro e quando chegava ali perto de um certo sítio, vinha p’ra casa já de noite, aí umas duas horas, duas e meia da noite, aquilo era muito longe, vinham a cavalo nos burros e quando chegou ali a um certo ponto, ali falavam muito que havia bruxas (o meu pai também chegou a apanhar um susto desses, o meu pai contava).
 E então ele vai, vem ali num sítio mesmo escuso, num sítio mesmo medonho, mesmo medonho. E então o meu avô vinha ali, em cima do burrinho, o burrinho ia a andar, já muito cansadinho mas lá vinha andando e quando ele vê um borrego. Pulava da estrada para cima do valado. Pulava do valado p’ra estrada. E andava o borreguinho só ali, só ali. E depois começou a ir em cima do valado. O burro ia a andar e o valado quase que dava com o burro e o borrego em cima do valado e punha a pata em cima da albarda do burro.
 Diz o meu avô assim:
 - Ó coitado, isto foi um rebanho de ovelhas que veio da feira, passou por aqui, o bicho entreve-se a comer e as ovelhas foram p’ra frente e o bicho ficou aqui perdido. E o bichinho agora vê-se perdido e quer ir comigo.
 Apuxou  assim o borreguinho e o borreguinho fez-se assim levinho e pôs-se assim à frente do meu avô, pôs-se assim à frente do burro, assim quase no colo dele. E vinha com o borreguinho por aí a fora. E o meu avô, só a mexer no borrego, só a mexer, só a mexer “Ah, coitadinho”. Ele era assim escuro, assim acastanhado. E vinha assim a fazer festas à pele do bicho e então...
 - Deixa-me lá ver se isto é um borrego ou se é uma borrega.
 E joga as mãos assim por baixo, a ver se era macho, se era fêmea. Quando ele mexeu nos alforges do borrego, mexeu ali nos alforges do borrego, quando o borrego dá um grito. Fez-se num homem, logo de repente:
 - Não me mexas nos meus alforges!
 E lá foi aquilo roncando por aí a fora. Era um lobisomem. E lá foi, o meu avô ficou branco, ficou a tremer, chegou a casa a tremer, a tremer com o susto que tinha apanhado daquilo.
 E o meu pai também chegou a ver bruxas.

Fonte Biblio AA. VV., - Arquivo do CEAO (Recolhas Inéditas) Faro, n/a,

Ano2000

Place of collection Portimão, PORTIMÃO, FARO

ColectorSandra Boto (F)

InformanteMaria Perpétua Lopes de Jesus (F), 67 y.o., born at Olhão (OLHÃO) FARO,

Narrativa

When XX Century,

CrençaUnsure / Uncommitted

Classifications