O cabreiro e a moura

APL 3609

Entre as povoações de Freixiosa e Vila Chã, no concelho de Miranda do Douro, passa uma ribeira onde há um poço conhecido como “Poço da Moura”. Dizem que num dia de inverno passou junto daquele poço um cabreiro chamado António, e ouviu uma voz a dizer-lhe:
    — António, toma uma rosa.
    O cabreiro ficou cheio de medo, mas conseguiu responder, dizendo:
    — Rosas em Janeiro?!
    E para espanto maior, em resposta caiu na sua frente uma rosa vinda do poço. Foi uma moura que lha mandou. E a seguir disse-lhe:
    — Leva-a contigo e nunca a mostres a ninguém, se quiseres que a tua vida mude para melhor.
    António, ao chegar a casa, guardou a rosa no fundo da arca de roupa do seu quarto. Passados alguns dias, a sua mãe foi lá remexer e encontrou-a. E muito admirada foi contar às vizinhas. Nenhuma acreditou. Tiveram de ir lá ver com os próprios olhos. Só que ao abrirem de novo a arca o que encontraram foi um enorme carvão. A mãe passou assim por mentirosa. E António quando soube ficou muito triste. Voltou depois ao poço da Moura mas nunca mais teve sinal dela.

Fonte Biblio PARAFITA, Alexandre A Mitologia dos Mouros: Lendas, Mitos, Serpentes, Tesouros Vila Nova de Gaia, Gailivro, 2006 , p.264

Ano1999

Place of collection-, MIRANDA DO DOURO, BRAGANÇA

InformanteOrquídea Xavier (F), 40 y.o.,

Narrativa

When XX Century,

CrençaUnsure / Uncommitted

Classifications