O Cabritinho

APL 1747

 Uma tarde, ao anoitecer, regressava a casa o tio António, cansado do trabalho quando lhe apareceu à frente aos saltinhos um cabritinho. Ele foi logo apanhá-lo julgando estar perdido. Pô-lo ao colo, na intenção de o levar para sua casa, e no outro dia procurar o seu dono.
Quando o transportava agarradinho a si, para ele não fugir, fez-lhe uma festinha no ficinho e disse:
- Oh, que cabritinho tão lindo!
Neste mesmo momento o cabritinho voltou o focinho, mostrou os dentes e disse:
- Vê lá se o teu pai também tem os dentes brancos como a mim!?
E nisto o cabritinho desapareceu. O tio António ficou pasmado e só lhe retou o susto e a história para contar.

Fonte Biblio AA. VV., - Arquivo do CEAO (Recolhas Inéditas) Faro, n/a,

Ano1997

Place of collection Vaqueiros, ALCOUTIM, FARO

InformanteAlzindia Maria (F), 65 y.o.,

Narrativa

When XX Century, 90s

CrençaUnsure / Uncommitted

Classifications