O colo das bruxas

APL 2761

Certa noite, próximo de determinada aldeia, quando um homem regressava já bastante tarde do trabalho, encontrou uma velha montada num burro ao contrário, ou seja, com a cara voltada para o rabo do animal, e atrás ia um enorme cortejo de galinhas brancas.
— Homessa! Mas que vem a ser isto?! — exclamou o homem, e ao mesmo tempo benzeu-se.
Acontece que, ao benzer-se, as galinhas transformaram-se em belas raparigas, e logo deitaram a correr atrás dele, enquanto a velha e o burro continuavam o seu caminho. Quando o alcançaram, as raparigas agarraram-se a ele, puseram-no ao colo e tentaram tirar-lhe a roupa, ao que o homem reagiu benzendo-se de novo. E ao fazê-lo, as raparigas voltaram a transformar-se em galinhas, e desataram a correr atrás da velha, formando de novo uma fila enorme na direcção do rio, após o que desapareceram.
O homem contou mais tarde no povo o que lhe aconteceu nessa noite, e logo todos tentaram tirar dele os nomes das raparigas e da velha que as levava. No entanto, com a desculpa de que era noite cerrada, afiançou que as não reconhecera. Livrou-as, por isso, da fama.
Não se livrou foi a ele das bocas do povo, onde ganhou fama de ter andado no colo das bruxas.

Fonte Biblio PARAFITA, Alexandre O Maravilhoso Popular - Lendas, contos, mitos Lisboa, Plátano Editora, 2000 , p.82

Place of collection-, BRAGANÇA, BRAGANÇA

Narrativa

When XX Century,

CrençaUnsure / Uncommitted

Classifications