“O Fantasma que pede boleia”

APL 2084

Bem, esta lenda passa-se com três amigos que vão fazer uma viagem na serra de Sintra de carro. A viagem é passada de dia, e um deles tem uma câmara de filmar nova e passa a viagem toda a filmar. E os outros dois amigos dizem-lhe que, não sei se já disse, mas são dois rapazes e uma rapariga que vão dentro do carro, nos bancos da frente vai um rapaz a conduzir e a rapariga ao lado, e os amigos dizem-lhe para ele parar de filmar, e ele diz que não, pois a câmara é nova e que quer experimentar e quer ver como é que funciona.
 Certa altura encontram uma rapariga toda vestida de branco, a pedir boleia. E eles param para lhe dar boleia, só que a rapariga não quer (a que está no carro) e diz que não quer dar boleia à rapariga e para não fazerem isso, mas eles para gozarem com ela, dão-lhe boleia. A rapariga está toda vestida de branco, entra no carro sempre de cabeça em baixo, e a única coisa que diz é que se chama Teresa.
 O rapaz vai a filmar, filma-a várias vezes, mas ela nunca mostra a cara. Certa altura ela aponta com o dedo para a frente e o rapaz foca a câmara de filmar para a frente e vê que está um cruzamento. Depois volta a câmara para a rapariga novamente, quando se vê a cara dela um bocadinho desfigurada. Depois disto eles têm um acidente. Os dois amigos que iam à frente morrem, apenas sobrevive o rapaz que vinha atrás com a câmara e fica lá tudo filmado.
 Mas supostamente iam quatro pessoas dentro do carro, mas apenas foram sempre encontrados três corpos. E o que se diz é que em mil novecentos e oitenta e qualquer coisa, que aí mesmo, nesse cruzamento, uma rapariga chamada Teresa teve um acidente lá e morreu.

Fonte Biblio AA. VV., - Arquivo do CEAO (Recolhas Inéditas) Faro, n/a,

Ano2006

Place of collection-, SINTRA, LISBOA

ColectorJoana Caetano (F)

InformanteAna Pacheco (F), 25 y.o., born at Alvalade (SANTIAGO DO CACÉM) SETÚBAL,

Narrativa

When XX Century,

CrençaUnsure / Uncommitted

Classifications