[O Homem Engravatado]

APL 1729

Andava a minha avó arrancar pedra mais o meu pai no lugar de Belansecos, o Senhor dos Aflitos. Apareceu lá um homem muito bem apresentado, muito boa gravata, e perguntou ó meu bisavô c’andavam a fazer?
Ele disse:
- Andamos arrancar pedra para fazer um palheiro!
E ele disse assim:
- Então quanto é que o senhor me dá, que eu faço-lhe da noite p’ra de manhê, fica findo, fica pronto!
E a minha avó disse-lhe assim:
- Não, meu pai, isso é o diabo! Isso não é homem é o diabo!
Depois pegou nas soquinhas na mão e beio-se embora p’ra casa e não arrancou mais pedra.
 E a pedreira nunca mais deu pedra, ficou sempre aquela buraca, nunca mais deu pedra.

Fonte Biblio AA. VV., - Literatura da tradição oral do concelho de Vila Real s/l, UTAD / Centro de Estudos de Letras (Projecto: Estudos de Produção Literária Transmontano-duriense),

Place of collection Andrães, VILA REAL, VILA REAL

InformanteIsilda Esperança Alves Monteiro (F), 80 y.o., Andrães (VILA REAL) VILA REAL,

Narrativa

When XX Century, 90s

CrençaUnsure / Uncommitted

Classifications