[O Lobisomem]

APL 2520

Eu tenho um tio que também diz que lhe apareceu [um lobisomem] num ribeiro. Vinha das vendas, entretiam-se a jogar á carta e depois vinham para casa ás tantas. E vinha pelo ribeiro acima e diz que encontrou um borreguinho. E o homem disse assim:
 - Oh o quê isto? Agora aqui um borreguinho aqui a esta hora?
 Pegou no borreguinho e pôs ás costas para trazer para casa. (Isto contava a descansada da minha mãe que eu não sei lá nada disso).

Então foi andado, foi andado, e quando chegou lá mais adiante diz que o borrego começou a pesar muito, diz que começou a pesar muito, uma coisa muito pesada, muito pesada... Atirou aquilo para o chão e no [momento] que atirou aquilo para o chão, apresentou-se a pessoa que diziam que era o “lobisome”, e ele conheceu. E diz ele assim:
 - Ai és tu? Então sempre és “lobisome” como as pessoas diziam!

Fonte Biblio AA. VV., - Arquivo do CEAO (Recolhas Inéditas) Faro, n/a,

Ano2007

Place of collection Olhão, OLHÃO, FARO

ColectorAna Mendonça (F)

InformanteMaria do Rosário (F), 72 y.o.,

Narrativa

When XX Century,

CrençaUnsure / Uncommitted

Classifications