O menino dos quatro olhos

APL 2125

Conta-se que aparecia aos pescadores quando iam para o mar, de noite, um menino de olhos muito grandes, que pedia, que chorava muito e pedia aos pescadores para o levarem para a mãe.
 Conta-se em Olhão e na Fuzeta a mesma lenda, só com a diferença, os pescadores da Fuzeta viam o menino com quatro olhos, mas não era, é que o menino aparecia a quatro cantos, e os assustados, como o menino corria para os quatro cantos, quando olhavam a cabeça andava-lhes à volta e viam quatro, mas o menino ia para os quatro cantos e eles diziam que era o menino dos quatro olhos. Segundo assim alguns mais entendidos, porque normalmente as pessoas apesar da ignorância revelada naquele tempo, que acreditavam em lendas e mitos, é claro havia sempre alguns que duvidavam, como é natural, hoje ainda se duvida de muitas coisas.
 Enfim, os pescadores, portanto, diziam que, realmente, aparecia esse menino. Ah: e uns acreditavam, e outros não. Até que um dia houve um pescador, que eu ainda conheci, e eu lembro-me que o meu avô dizia, constava o facto que esse pescador, ao ir para o mar, eram três ou quatro da madrugada, viu ali um menino que chorava muito a um dos cantos de uma rua, e então ele perguntou-lhe:
 - Menino, mas então o que é que tu fazes aqui? E ele disse:
 - Ah, eu quero ir para a minha mãe. E o pescador que era ingénuo e que não
conhecia a lenda: 
 - Mas tu queres ir para a tua mãe; então, mas onde é que mora a tua mãe?
 - A minha mãe mora muito longe.
 - Ora, se tu me indicares o caminho eu levo-te à tua mãe. E ele disse:
 - Então o senhor leve-me ao colo que eu já não posso andar. O pescador agarra nele ao colo e o menino vai indicando o caminho. Ora é claro que vai andando até certa altura, o menino ia-se tornando cada vez mais pesado. O homem, claro, chegou a um ponto que já não podia com o menino e disse:
 - Menino, mas tu pesas tanto, quem és tu?
 - Eu sou o menino dos quatro olhos. De repente, ele diz que viu, assustou-se porque viu aquilo que era o demónio, que viu o fogo do inferno. Então, deitou o menino ao chão e o menino desapareceu. Porque ele teve um grande susto quando pensou que aquele menino era fora do normal e então dizia – diziam - na Fuzeta que o menino dos quatro olhos aprecia aos pescadores. Já uma lenda muito antiga, e em Olhão é o Menino dos Olhos Grandes. Portanto eles iam para o mar, o menino aparecia e tomava-se cada vez mais pesado, até que por fim, eles tinham que largá-lo e o menino desaparecia completamente. Isto era o menino que pregava estas partidas aos pescadores.

Fonte Biblio AA. VV., - Arquivo do CEAO (Recolhas Inéditas) Faro, n/a,

Ano1998

Place of collection Fuseta, OLHÃO, FARO

ColectorLidório Lopes (M)

InformanteMaria Isabel (F), 63 y.o., born at Fuseta (OLHÃO) FARO,

Narrativa

When XX Century,

CrençaUnsure / Uncommitted

Classifications