O mistério da ponte romana Mae Gutierres

APL 964

Diz-se que a ponte romana Mae Gutierres está há séculos encantada. Segundo a tradição, o encantamento só pode ser quebrado por um lavrador que tenha uma cabra que dê dois cabritinhos de um só ventre em noite de São João e que deixe os cabritinhos mamar o leite todo.
De acordo com os ditames desta lenda, o lavrador não pode aproveitar-se do leite da cabra, seja a que título for. Se o lavrador der cumprimento à prescrição, passado um ano pode dirigir-se à meia-noite com os cabritinhos, já criados e jungidos, à ponte, onde aparecerá à tona da água um pote cheio de ouro.
Ora, há muito tempo atrás aconteceu que um lavrador de Brunhais, concelho de Póvoa de Lanhoso, dono de uma cabra, preencheu os requisitos exigidos. A sua cabra pariu dois cabritinhos de uma só vez na noite de São João. O lavrador andava feliz e desejoso de desencantar daí a um ano o famoso pote de ouro do rio Ave.
Passado o tempo necessário, dirigiu-se com os cabritinhos ao local determinado pela tradição. E era meia-noite quando o pote de ouro subiu à tona, ficando a boiar nas águas mansas. Exultando de alegria, o lavrador tirou-o debaixo da ponte e ligou-o ao tamão.
De volta a casa, ia tão satisfeito por ter conseguido apoderar-se do tesouro que, falando, sozinho exclamou:
− Ele, com Deus, cá vai!...
Espantado, ouviu no silêncio da noite responder-lhe o pote de ouro:
− O pior foi o leite que tiraste e deitaste pelo lombo da cabra!
Antes que se desse bem conta da realidade de tudo aquilo, viu o tesouro desaparecer subitamente.
Com efeito, certo dia, o homem esquecera-se do requisito da lenda e mugiu a cabra. A meio da operação, deu pelo erro que estava a cometer e deitou pelo lombo abaixo da cabra o leite que tinha tirado. Assim perdeu o pote de ouro, mercê daquela sua desatenção.
Não consta que outro lavrador se tenha alguma vez candidatado ao desencantamento do pote de ouro da ponte romana do rio Ave.

Fonte Biblio AA. VV., - Literatura Portuguesa de Tradição Oral s/l, Projecto Vercial - Univ. Trás -os-Montes e Alto Douro, 2003 , p.TE7

Ano2002

Place of collection Esperança, PÓVOA DE LANHOSO, BRAGA

ColectorElisabete Moreira (F)

InformanteDeolinda Gonçalves Moreira (F), 51 y.o., Esperança (PÓVOA DE LANHOSO) BRAGA,

Narrativa

When XX Century, 90s

CrençaUnsure / Uncommitted

Classifications