O Mourinho do Forte

APL 2632

É um mouro cristão do Forte que aparecia à meia-noite vestido de encarnado, e ele sabia onde haviam os tesouros, de grandes valores. Encontrou um certo indivíduo, e lhe contou:
- Olha, vais a tal sítio e está lá uma panela de ouro com coisas valiosas, apanhas, estas a ouvir?
Mas ele não preveniu o outro que não dissesse nada a ninguém. Segundo consta é aqui no castelo, nestas rochas que estão aqui salientes, que estão ocas por baixo, que a Câmara vai agora a descobrir isso. As rochas do lado Sul do castelo, umas rochas que estão ali. Eu quando moço muitas vezes ia para ali e ouvia-se tocar oco. E então era aí. O mourinho do forte vivia no Forte, de 1640, mandada fazer por D. João IV. No dito Forte havia uma capela, hoje lhe chamam a casa funda, cuja capela ficou dentro das muralhas do Forte. Então D. João IV mandou fazer em 1665 uma capela com as mesmas dimensões em Castro Marim, que é hoje a actual capela de D. Sebastião..ele é do ano de 1665 mandada fazer por D. João IV. Então essa casa funda é o que a gente lhe chama..esta dentro daquelas muralhas.. a gente vai à porta “Uhhh” e aquilo entoa, porque aquilo não foi entulhada.
Esse mourinho do forte, o que disse ao tal tipo, coiso assim.
- Olha vamos a tal parte. Disse ao outro.
Ehh foram a tal parte e não encontraram lá nada.
O mourinho do forte como soube que o outro nunca mais lá apareceu, disse a outro, mas preveniu logo:
- Olha não digas nada a ninguém, ou senão tiras a fortuna da tua casa.
E o dito individuo não quis ir sozinho, teve medo.

Fonte Biblio AA. VV., - Arquivo do CEAO (Recolhas Inéditas) Faro, n/a,

Ano2009

Place of collection-, CASTRO MARIM, FARO

ColectorDália Faísca (F)

InformanteAntónio Vítor Severo Martins (M), 76 y.o., born at - (CASTRO MARIM) FARO,

Narrativa

When XX Century,

CrençaUnsure / Uncommitted

Classifications