[O Mourinho e as Mulheres da Empreita]

APL 3787

Em um sítio, nas proximidades da Fonte Cássima, estavam umas mulheres alta noite e à lua fazendo empreita às suas portas. À ultima badalada da meia noite viram distintamente na rua fronteira uma criança de gorro encarnado que brincava correndo e voltando pela mesma rua. Era de verão, tempo em que os lavradores têm os almeixares, onde secam o figo. Supuseram por isso as mulheres que era alguma criança dos almeixares próximos, que de noite são guardados por algumas famílias do atrevimento dos ladrões. A criança porém repetia os seus passeios e tantas vezes que imaginaram que andasse perdida. Uma das mulheres chamou pela criança, mas esta não acudiu ao chamamento. Então ergueu-se e foi em direcção do menino. Este desapareceu instantaneamente como o fumo.
    Foi tão grande o susto que a mulher e as suas companheiras apanharam com o repentino e inexplicável desaparecimento da criança que recolheram às suas casas, fechando por dentro as portas.
    No dia seguinte todos unanimemente afirmavam que era um mourinho encantado a criança que lhes aparecera.
    Nunca mais foram vistas a fazer empreita às horas adiantadas da noite, embora no verão.

Fonte Biblio OLIVEIRA, Francisco Xavier d'Ataíde As Mouras Encantadas e os Encantamentos do Algarve Loulé, Notícias de Loulé, 1996 [1898] , p.88, cap. V

Place of collection-, LOULÉ, FARO

Narrativa

When XX Century, 90s

CrençaUnsure / Uncommitted

Classifications